XXXII Simpósio Brasileiro de Engenharia de Software

O Simpósio Brasileiro de Engenharia de Software (SBES), promovido anualmente pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC),  é o principal evento de Engenharia de Software na América Latina. O SBES é realizado junto com o CBSoft - Congresso Brasileiro de Software: Teoria e Prática. O programa do CBSoft inclui sessões técnicas, sessões de ideias inovadoras, sessão da indústria, palestras de convidados, cursos, tutoriais, painéis, demonstração de ferramentas de software, workshop de teses e dissertações e vários outros eventos satélites. Tradicionalmente, reúne cerca de 600 pessoas, incluindo pesquisadores, profissionais e estudantes.

SBES 2018 inclui três trilhas:

  • A Trilha de Pesquisa publica resultados sólidos com uma forte contribuição para a comunidade de engenharia de software.
  • A Trilha de Ideias Inovadoras e Resultados Emergentes oferece uma oportunidade para pesquisadores e profissionais apresentarem e submeterem idéias e resultados inovadores e promissores em estágios iniciais de pesquisa.
  • A Trilha de Educação (FEES - Forum de Educação em Engenharia de Software) publica artigos que abordam desafios, inovações e melhores práticas em educação em Engenharia de Software.

Trilha de Pesquisa

Esta é a trilha da SBES tradicional, que publica resultados sólidos com uma forte contribuição para a comunidade de engenharia de software. Os trabalhos nesta trilha são revisados com base em sua originalidade, relevância, solidez técnica e clareza de apresentação.

Os artigos submetidos à Trilha de Pesquisa do SBES não devem ter sido simultaneamente submetidos a nenhum outro fórum (conferência ou revista), nem devem ter sido publicados em outros locais.

Datas Importantes

Submissão de propostas: 2 de fevereiro, 2018
Prazo final para submissão de proposta : 9 fevereiro, 2018
Submissão de Resumo: 13 de abril, 2018 Novo! 20 de abril, 2018Novo! 27 de abril, 2018
Submissão de Artigo: 20 de abril, 2018 Novo! 27 de abril, 2018
Período de réplica (rebuttal): 4-11 de junho, 2018
Notificação de aceitação: 27 de junho, 2018
Envio da versão final (camera-ready): 11 de julho, 2018

Tópicos de Interesse

Esta Trilha de Pesquisa recebe artigos de pesquisa técnica relacionados (mas não limitados) a

- Agent-oriented software engineering
- Agile development
- Configuration management and deployment
- CSCW and software engineering
- Experimental software engineering
- Industrial applications of software engineering
- Mining software repository
- Mobile application development
- Model-driven software development
- Requirements engineering
- Search-based software engineering
- Social aspects of software engineering
- Software architecture
- Software dependability
- Software ecosystems and systems of systems
- Software engineering education and training
- Software engineering for cloud computing
- Software engineering for the world wide web
- Software maintenance and evolution
- Software metrics and measurement
- Software modularity
- Software processes
- Software product lines
- Software reengineering
- Software reuse
- Software quality and quality models
- Software verification & validation
- Technical debt management
- Theoretical foundations and formal methods

Linguagens e Categorias de Artigos

Os autores dos artigos para a Trilha de Pesquisa são convidados a informar após o resumo do artigo uma ou mais das seguintes categorias. Este tem a intenção de orientar os autores na preparação de suas propostas e estabelecer um conjunto consistente de expectativas no processo de revisão.

Analítico: Um artigo em que a contribuição principal se baseia em novos algoritmos ou teoria matemática. Os exemplos incluem novas técnicas de previsão de erros, transformações de modelos, algoritmos para análises dinâmicas e estáticas e análise de confiabilidade. Essa contribuição deve ser avaliada com uma análise convincente dos detalhes algorítmicos, seja através de uma prova, análise de complexidade ou análise de tempo de execução, entre outros, e dependendo dos objetivos.

Experimental (estudo primário): Um artigo em que a principal contribuição é o estudo experimental de uma tecnologia ou fenômeno de engenharia de software. Isso inclui experimentos controlados, quasi-experimentos, estudos de caso e pesquisas de profissionais que relatam resultados qualitativos ou quantitativos e resultados de análise. Essa contribuição será avaliada quanto ao design do estudo, adequação e correção de sua análise e ameaças à validade. As replicações são bem-vindas.

Revisão da literatura(estudo secundário): Um artigo em que a principal contribuição é a síntese dos estudos primários. Exemplos incluem revisões sistemáticas e mapeamentos sistemáticos. Essa contribuição deve seguir uma metodologia consolidada e fornecer uma cobertura abrangente da literatura relevante. Além disso, deve responder questões de pesquisa relevantes com uma síntese profunda dos resultados. As contribuições que apenas fornecem análise de metadados (por exemplo, autores relevantes, densidade de publicações por ano, artigos mais influentes, etc.) não são encorajadas.

Técnico: Um artigo em que a contribuição principal é de natureza técnica. Isso inclui novas ferramentas, linguagens de modelagem, infraestruturas e outras tecnologias. Tal contribuição não necessariamente precisa ser avaliada com seres humanos. No entanto, argumentos claros, apoiados por provas, conforme o caso, devem mostrar como e por que a tecnologia é benéfica, seja na automação ou suporte de tarefas do usuário, refinando nossos recursos de modelagem, melhorando algumas propriedades de sistemas chave, etc.

Metodologica: Um artigo em que a principal contribuição é um sistema coerente de princípios e práticas gerais para interpretar ou resolver um problema. Isso inclui novos métodos de elicitação de requisitos, modelos de processo, métodos de design, abordagens de desenvolvimento, paradigmas de programação e outras metodologias. Os autores devem fornecer argumentos convincentes, com experiências compatíveis, por que um novo método é necessário e quais são os benefícios do método proposto.

Instrução para Submissão

Os artigos podem ser escritos em português ou inglês. A apresentação em inglês é fortemente encorajada, uma vez que os artigos do simpósio são indexados na Biblioteca Digital ACM. A aceitação de um artigo implica que pelo menos um dos seus autores se inscreva para o simpósio para apresentá-lo.

Todas as submissões devem estar no formato Adobe Portable Document Format (PDF) e devem estar de acordo com a conferência ACM no formato de 2 colunas (ACM_SigConf), disponível emhttp://www.acm.org/publications/proceedings-template. Eles não devem ter mais de 10 páginas, incluindo todas as figuras e referências.

Os artigos devem ser submetidos eletronicamente através do sistema JEMS (http://submissoes.sbc.org.br). Todos os artigos de pesquisa técnica devem informar depois do resumo o idioma e uma ou mais das categorias acima mencionadas. As inscrições que não estão em conformidade com o formato de apresentação exigido ou que estão fora do escopo do simpósio, ou que foram enviadas ou publicadas em qualquer outro fórum (conferência ou revista) serão rejeitadas sem revisão. Todos os outros artigos serão revistos por pelo menos três membros do comitê do programa. O processo de revisão inclui um período de réplica (rebuttal) onde os autores terão acesso a críticas e podem argumentar e responder a perguntas dos revisores antes da decisão final de aceitação / rejeição. A réplica (rebuttal) é limitada a um texto simples de até 4.000 caracteres.

SUBMISSÃO DUPLO-CEGO

Pela primeira vez, o SBES 2018 seguirá um processo de revisão duplo-cego. Todos os artigos enviados não devem revelar a identidade dos autores. Tanto os nomes dos autores quanto as afiliações devem ser omitidos. Além disso, as seguintes regras devem ser abordadas:

  • Você deve garantir que as citações de seu próprio trabalho relacionado estejam escritas na terceira pessoa. Por exemplo, você deve escrever "o trabalho anterior de Silva et al" em oposição ao "nosso trabalho anterior".
  • Você não deve mencionar nenhum artefato em um repositório ou site no artigo enviado que permita identificá-lo. Se você precisar disponibilizar qualquer artefato, torne o respectivo repositório / website anônimo.
  • Se o artigo SBES submetido é um seguimento do seu trabalho anterior, você pode tornar anônima a referência no artigo apresentado. Por exemplo, "o trabalho anterior de Silva et al" pode ser adaptado para "com base no trabalho anterior [X]", e a referência no final do trabalho pode ser apresentada como "[X] Autores anônimos. Não apresentado devido a revisão duplo-cego "
  • Após a aceitação do artigo, você pode incluir todas as informações no artigo (sem anonimato) na versão final.
  • Caso tenha alguma dúvida sobre a preparação do seu artigo seguindo as regras de duplo-cego, envie um e-mail para a organização do programa (uira@dimap.ufrn.br) com o assunto "SBES 2018: pergunta sobre as regras de duplo-cego"

Programa de Tutoria

Os autores que nunca publicaram no SBES Trilha de Pesquisa ou em outras conferências de prestígio internacional da área (no critério de organização do programa), e que pretendem enviar um artigo para a Trilha de Pesquisa, podem solicitar participar do programa de tutoria. O presidente do programa atribuirá um membro do Comitê do Programa para fazer uma avaliação preliminar do artigo e dar feedback antes do prazo de entrega, aumentando as chances de autores menos experientes.

Verifique o prazo para participar do programa na seção Datas Importantes, mas encorajamos a realização do pedido o mais rápido possível, uma vez que a quantidade de artigos neste programa é limitada e a atribuição será feita por ordem de submissão.

ATENÇÃO: para participar deste programa, nenhum dos autores pode ter publicação prévia em qualquer edição SBES ou em conferências internacionais de prestígio. O pedido deve ser feito exclusivamente por e-mail (uira@dimap.ufrn.br) com o assunto "Participação no SBES 2018 Mentoring". Você deve incluir no corpo do e-mail o título do artigo, a lista completa de autores e o resumo.

Journal First

A SBES está em parceria com revistas internacionais para incorporar os periódicos do Journal First na faixa de pesquisa SBES 2018.

As revistas IEEE Software e Springer Journal of Software Engineering Research and Development (JSERD) confirmaram sua parceria com o SBES 2018. Os autores dos primeiros artigos aceitos nessas revistas serão convidados a apresentarem seus trabalhos de pesquisa no SBES. Isso oferece uma oportunidade para os autores discutirem seus trabalhos com a comunidade, bem como enriquecer o programa técnico do SBES.

Os seguintes critérios de avaliação serão utilizados para selecionar os primeiros artigos da revista no SBES 2018:

  • O artigo descreve resultados originais que não são extensões previous conference papers.
  • O artigo não foi aceito para ser publicado em revista anterior than January 1st, 2016.
  • O artigo não foi apresentado em nenhuma outra conferência como primeiro artigo de revista.
  • Os artigos selecionados serão apresentados no programa técnico da Trilha de Pesquisa do SBES. Pelo menos um autor do artigo selecionado precisará se registrar e participar do simpósio para apresentá-lo.
  • No que diz respeito aos primeiros artigos publicados no JSERD, apenas aceitaremos envios de artigos das seguintes categorias: artigos de pesquisa, estudos de caso e revisões sistemáticas.
  • Em relação aos primeiros artigos publicados na revista IEEE Software, só aceiretamos artigos de pesquisa revisados por pares (não editorialmente revisados ou artigos convidados .

Os autores interessados em apresentar os primeiros trabalhos do periódico no SBES 2018 precisam enviar um e-mail para a organização do programa (uira@dimap.ufrn.br) com o assunto "Journal First - SBES 2018" até 31 de maio de 2018. A seguinte informação deve ser informada: (i) título do artigo, (ii) lista de autores, (iii) o link da web para acessar o artigo; e (iv) uma breve declaração sobre como o trabalho satisfaz os critérios acima.

Melhor Artigo

Todos os anos, o Comitê Diretor da SBES nomeia um comitê para premiar os melhores trabalhos do simpósio. Os trabalhos premiados da Trilha de Pesquisa são anunciados durante o evento. Os cinco melhores artigos da Trilha de Pesquisa são convidados a enviar uma versão extendida em inglês para a categoria de Pesquisa da revista Springer Journal of Software Engineering Research and Development (JSERD) http://jserd.springeropen.com/.

Organização

Coordenadores do Comitê de Programa
Uirá Kulesza, UFRN

Comitê Gestor
Eduardo Almeida, UFBA
Fabiano Cutigi Ferrari, UFSCar
Jose Carlos Maldonado, ICMC/USP
Leonardo Murta, UFF
Marco Aurélio Gerosa, Northern Arizona University
Rafael Prikladnicki, PUCRS
Uirá Kulesza, UFRN

Comitê do Programa
Adenilso Simão (ICMC/USP)
Alessandro Garcia (PUC-Rio)
Alexandre Correa (UNIRIO)
Ana Paiva (FEUP, Universidade do Porto, Portugal)
Antonia Bertolino (CNR, Italy)
Arilo Dias Neto (UFAM)
Arndt von Staa (PUC-Rio)
Auri Marcelo Rizzo Vincenzi (UFSCar)
Christiane Gresse von Wangenheim (UFSC)
Christina Chavez (UFBA)
Christoph Treude (University of Adelaide, Australia)
Claudio Sant’Anna (UFBA)
Daniel Alencar da Costa (Queen's University, Canada)
Daniel Berry (University of Waterloo, Canada)
Daniel Lucrédio (UFSCar)
Edson Oliveira Jr (UEM)
Eduardo Almeida (UFBA)
Eduardo Figueiredo (UFMG)
Eiji Adachi Barbosa (UFRN)
Elder José Cirilo (UFSJ)
Elisa Yumi Nakagawa (ICMC/USP)
Ellen Barbosa (ICMC/USP)
Fabiano Cutigi Ferrari (UFSCar)
Fernanda Alencar (UFPE)
Fernando Castor (UFPE)
Fernando Marques Figueira Filho (UFRN)
Flavio Oquendo (UBS, France)
Franklin Ramalho (UFCG)
Glauco Carneiro (UNIFACS)
Guilherme Travassos (COPPE/UFRJ)
Gustavo Pinto (UFPA)
Gustavo Rossi (UNLP, Argentina)
Gustavo Soares (Microsoft Research, USA)
Humberto Marques Neto (PUC Minas)
Hyggo Almeida (UFCG)
Igor Steinmacher (UTFPR)
Igor Wiese (UTFPR)
Ingrid Oliveira de Nunes (UFRGS)
Itana Maria de Souza Gimenes (UEM)
Jaelson Castro (UFPE)
Jim Woodcock (University of York, UK)
Jose Carlos Maldonado (ICMC/USP)
Julio Leite (PUC-Rio)
Leonardo Murta (UFF)
Leopoldo Teixeira (UFPE)
Lincoln Rocha (UFC)
Luciano Baresi (Politecnico di Milano, Italy)
Marcelo d'Amorim (UFPE)
Marcelo de Almeida Maia (UFU)
Marcio Delamaro (ICMC/USP)
Marcio Ribeiro (UFAL)
Marco Aurélio Gerosa (Northern Arizona University, USA)
Marco Graciotto Silva (UTFPR)
Marco Tulio Valente (UFMG)
Marcos Kalinowski (PUC-Rio)
Mauricio Aniche (Delft University of Technology, Netherlands)
Marcio Barros (UNIRio)
Mehdi Bagherzadeh (Oakland University, USA)
Miguel Goulão (UNL, Portugal)
Mike Papadakis (University of Luxembourg, Luxembourg)
Mirco Franzago (University of L'Aquila, Italy)
Nabor Mendonca (UNIFOR)
Nélio Cacho (UFRN)
Oscar Pastor (Universitat Politècnica de València, Spain)
Patricia Machado (UFCG)
Paulo Borba (UFPE)
Pedro Santos Neto (UFPI)
Rafael Prikladnicki (PUCRS)
Raphael Pereira de Oliveira (IFS)
Raul Wazlawick (UFSC)
Regina Braga (UFJF)
Ricardo Terra Nunes Bueno Villela (UFLA)
Rick Rabiser (Johannes Kepler University, Austria)
Roberta Coelho (UFRN)
Rodrigo Bonifacio de Almeida (UNB)
Rodrigo Santos (UNIRIO)
Rogerio de Lemos (University of Kent, UK)
Rohit Gheyi (UFCG)
Rosana Braga (ICMC/USP)
Rossana Andrade (UFC)
Sérgio Soares (UFPE)
Silvia Abrahão (Universitat Politècnica de València, Spain)
Silvia Vergílio (UFPR)
Simone Souza (ICMC/USP)
Tayana Conte (UFAM)
Thais Vasconcelos Batista (UFRN)
Tiago Massoni (UFCG)
Toacy Oliveira (COPPE/UFRJ)
Valter Camargo (UFSCar)
Vander Alves (UnB)
Viviane Torres da Silva (IBM Research)
W. Eric Wong (University of Texas at Dallas, USA)

Trilha de Ideias Inovadoras e Resultados

Emergentes

Esta trilha centra-se em ideias inovadoras com resultados futuros promissores, bem como em trabalhos de pesquisa em andamento com resultados preliminares e interessantes. Artigos descrevendo abordagens inovadoras de engenharia de software, incluindo métodos, técnicas e ferramentas, nos primeiros estágios da pesquisa são bem-vindos. Os trabalhos desta trilha serão revisados ​​com base em sua novidade, relevância, solidez técnica e clareza de apresentação. Esta trilha vem sendo organizada desde 2015 e os anais dos eventos anteriores estão disponíveis nas bibliotecas digitais da IEEE (2015) ou da ACM (2016 e 2017).

Temas de Interesse

Convidamos submissões de artigos da academia, do governo e da indústria apresentando pesquisas e ideais inovadoras sobre todos os aspectos da engenharia de software, incluindo, entre outros, os tópicos listados na trilha de pesquisa.

Instrução para Submissão

Os trabalhos podem ser escritos em português ou inglês. A escrita em inglês é fortemente encorajada, uma vez que os anais do evento serão indexados pela Biblioteca Digital da ACM. Os trabalhos enviados não devem ter sido simultaneamente submetidos a nenhum outro fórum (conferência ou revista), nem devem ter sido publicados em outros lugares. Pelo menos um autor de cada artigo aceito deve se inscrever na conferência e apresentar o trabalho pessoalmente durante o evento, ou o artigo não será incluído nos anais.

Todos os artigos devem estar no formato Adobe Portable Document Format (PDF) e devem estar em conformidade com o formato da ACM disponível em http://www.acm.org/publications/proceedings-template O artigo não deve ter mais de 6 páginas, incluindo todas as figuras e referências. Os trabalhos devem ser enviados eletronicamente através do sistema JEMS (http://submissoes.sbc.org.br). Todos os trabalhos enviados devem informar após o resumo o idioma em que o artigo foi escrito. As submissões que não estão em conformidade com o formato de envio exigido ou que estão fora do escopo do simpósio serão rejeitadas sem revisão. Todos os outros trabalhos serão revisados por pelo menos três membros do Comitê de Programa.

Datas Importantes

Limite para registro do artigo (envio de um resumo): 18/05 25/05
Limite para envio do artigo completo: 25/05
Notificação de aceitação: 11/07
Envio da versão final: 25/07

Organização

Coordenadores do Comitê de Programa
Rafael Prikladnicki, PUCRS
Marco Aurélio Gerosa, Northern Arizona University

Comitê de Programa
Adenilso Simao (ICMC-USP)
Alessandro Garcia (PUC-Rio)
Alfredo Goldman (IME-USP)
Arndt von Staa (PUC-Rio)
Christina Chavez (UFBA)
Claudia Melo (UnB)
Claudio Sant'Anna (UFBA)
Daniel Alencar da Costa (Queen’s University)
Eduardo Guerra (INPE)
Fabiano Ferrari (UFSCar)
Fernando Figueira Filho (UFRN)
Gustavo Pinto (UFPA)
Igor Steinmacher (NAU / UTFPR)
Igor Wiese (UTFPR)
José Maldonado (ICMC-USP)
Leonardo Murta (UFF)
Leonardo Tizzei (IBM Research)
Manoel Mendonça (UFBA)
Marcelo de Almeida Maia (UFU)
Marco Tulio Valente (UFMG)
Mauricio Aniche (TU Delft)
Nabor Mendonca (UNIFOR)
Rodrigo Bonifacio (UnB)
Sabrina Marczak (PUCRS)
Sergio Soares (UFPE)
Valter Camargo (UFSCar)

Comitê Gestor
Eduardo Almeida, UFBA 
Fabiano Cutigi Ferrari, UFSCar 
Jose Carlos Maldonado, ICMC/USP 
Leonardo Murta, UFF 
Marco Aurélio Gerosa, Northern Arizona University 
Rafael Prikladnicki, PUCRS 
Uirá Kulesza, UFRN 

Trilha de Educação

Em 2018, pela segunda vez, o SBES irá incluir uma Trilha de Educação. Submissões de qualidade cobrindo o desenvolvimento do currículo, estudos empíricos, melhores práticas, experiências institucional e pessoal e trabalhos teóricos ou conceituais são bem vindos. Artigos nesta trilha são revisados baseados na sua originalidade, relevância, qualidade técnica e clareza na apresentação.

Artigos submetidos para a Trilha de Educação do SBES não podem ser submetidos simultaneamente para outro fórum (conferência ou periódico), nem devem ter sido publicados anteriormente.

Datas Importantes

Registro do artigo (submissão do resumo): 18 de maio de 2018 25 de maio de 2018
Submissão do artigo: 25 de maio de 2018
Período de réplica (rebuttal): 27 de junho - 4 de julho de 2018
Notificação de aceitação: 11 de julho de 2018
Envio da versão final (camera-ready): 25 de julho de 2018

Tópicos de Interesse

A Trilha de Educação recebe artigos técnicos de pesquisa relacionados (mas não limitados) aos seguintes tópicos:

- Boas e inovadoras práticas para a educação em engenharia de software;
- Currículo ou formatos de curso inovadores;
- Ensino de Engenharia de Software em cursos de Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Tecnologia da Informação e outros;
- Ensino de métodos, técnicas e ferramentas para o desenvolvimento de software;
- Educação de Engenharia de Software em ambientes não tradicionais, tais como hackathons;
- Ambientes educacionais emergentes para engenharia de software, tais como aprendizado online;
- Experiências de ensino/aprendizado utilizando abordagens em novos cenários práticos da Engenharia de Software, tais como: métodos ágeis, código aberto, desenvolvimento de software distribuído, computação em nuvem, big data, dispositivos móveis, sistemas embarcados, robótica e outros;
- Ferramentas e métodos para avaliação do aprendizado de engenharia de software;
- Maneiras de ensino/aprendizado que considerem o conhecimento de questões humanas, políticas, éticas, legais, profissionais e sociais na Engenharia de Software;
- Integração de experiência práticas no ensino da Engenharia de Software;
- Integração entre pesquisa na Engenharia de Software e ensino/aprendizado na Engenharia de Software;
- Uso de novas tecnologias na educação de Engenharia de Software;
- Interdisciplinaridade em Engenharia de Software: relacionamento com outras disciplinas e cursos, tais como artes, música, administração, economia e psicologia;
- Métodos inovadores que promovem o estudo e estimulam o aprendizado de professores, mantendo eles atualizados para o ensino de Engenharia de Software;
- Educação em Engenharia de Software que estimula o empreendedorismo, especialmente a criação de startups; e
- Código aberto na educação.

Instrução para Submissão

Os artigos devem ser redigidos em português ou inglês. As inscrições em inglês são fortemente encorajadas, uma vez que os procedimentos do simpósio são indexados na Biblioteca Digital ACM. A aceitação de um artigo implica que pelo menos um dos seus autores se inscreva para o simpósio para apresentá-lo.

Todas as apresentações devem estar no formato de documento portátil da Adobe (PDF) e devem obedecer ao formato de conferência ACM 2 colunas disponível em http://www.acm.org/publications/article-templates/proceedings-template.html. Os artigos não devem ter mais de 10 páginas, incluindo todas as figuras e referências.

Os artigos devem ser enviados eletronicamente através do sistema JEMS ((http://submissoes.sbc.org.br). As inscrições que não estão em conformidade com o formato de envio exigido ou que estão fora do escopo da Trilha de Educação serão rejeitadas sem revisão. Todos os outros artigos serão revisados por pelo menos três membros do Comitê do Programa.

O processo de revisão inclui um período de refutação (rebuttal) em que os autores terão acesso aos comentários dos revisores e podem argumentar e responder a perguntas dos revisores antes da decisão final de aceitação / rejeição. A refutação é limitada a um texto simples de até 4.000 caracteres (incluindo espaços).

Organização

Coordenadores do Comitê de Programa
Claudia Werner, COPPE/UFRJ
Rossana Andrade, UFC

Comite Gestor
Eduardo Almeida, UFBA
Fabiano Cutigi Ferrari, UFSCar
Jose Carlos Maldonado, ICMC/USP
Leonardo Murta, UFF
Marco Aurélio Gerosa, Northern Arizona University
Rafael Prikladnicki, PUCRS
Uirá Kulesza, UFRN

Comitê de Programa
Ana Paula Bacelo, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Ana Regina Rocha, COPPE/Universidade Federal do Rio de Janeiro
Andreia Malucelli, Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Carla Silva, Universidade Federal de Pernambuco
Christiane Gresse von Wangenheim, Universidade Federal de Santa Catarina
Christina Chavez, Universidade Federal da Bahia
Daltro Nunes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Edmundo Spoto, UFG – Universidade Federal de Goiás
Edson Oliveira Jr, Universidade Estadual de Maringá
Eduardo Figueiredo, Universidade Federal de  Minas Gerais
Emily Oh Navarro, University of California, USA
Francisco Dantas, Universidade Estadual do Rio Grande do Norte
Gleison Santos, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Heitor Costa, Universidade Federal de Lavras
Igor Steinmacher, Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Igor Wiese, Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Itana Gimenes, Universidade Estadual de Maringá
Jaejoon Lee, Lancaster University, UK
Jair Leite, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
José Carlos Maldonado, USP São Carlos
Julio Leite, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Leila Ribeiro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Lincoln Souza Rocha, Universidade Federal do Ceará
Marcelo Yamaguti, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Márcio Barros, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Maria Augusta Vieira Nelson, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Milene Serrano, Universidade de Brasília
Monalessa Perini Barcellos, Universidade Federal do Espírito Santo
Paulo Meirelles, Universidade de Brasília
Pedro Santos Neto, Universidade Federal do Piauí
Rafael Capilla, University Rey Juan Carlos, Spain
Roberta Coelho, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Rodolfo Resende, Universidade Federal de Minas Gerais
Rodrigo Reis, Universidade Federal do Pará
Rodrigo Santos, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
Rodrigo Spínola, Universidade de Salvador
Sabrina Marczak, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Sheila Reinehr, Pontifícia Universidade Católica do Paraná
Tayana Conte, Universidade Federal do Amazonas
Valter Camargo, Universidade Federal de São Carlos

Convidados

Massimiliano Di Penta, University of Sannio, Itália


Massimiliano Di Penta é professor associado da Universidade de Sannio, Itália. Seus interesses de pesquisa incluem manutenção e evolução de software, mineração em repositórios de software, engenharia de software empírica, testes de software, engenharia de software baseada em pesquisa e engenharia de software centrada em serviço. Ele foi autor de mais de 250 artigos publicados em revistas internacionais, conferências e workshops, e seus artigos receberam prêmios da ACM SIGSOFT no ICSE, FSE e ASE, e melhores trabalhos / distintos em outras conferências, incluindo ICSME, ICPC, CSMR e WCRE.

Ele atendua e atuou nos comitês de organização e programa de mais de 100 conferências, incluindo ICSE, FSE, ASE, ICSME. Ele é membro do comitê de direção da ASE e MSR, e já atuou no comitê de direção da ICSME, PROMISE, SSBSE, WCRE, CSMR, SCAM e IWPSE. Ele está no conselho editorial do Empirical Software Engineering Journal editado por Springer, e Journal of Software: Evolution and Processes editado por Wiley, e atuou no conselho editorial da revista IEEE Transactions on Software Engineering.

Resumo:
TBA.

Dr. Mik Kersten, (TaskTop, Chief Executive Officer and Co-Founder)


O Dr. Mik Kersten passou uma década criando ferramentas de desenvolvimento de software livre antes de perceber que a programação não era o gargalo da entrega de software em grande escala. Desde então, ele vem trabalhando na criação de um modelo de ferramentas para conectar o fluxo de valor de software ponta a ponta. Ele foi nomeado como palestrante do JavaOne Rock Star e um dos principais escritores da IBM developerWorks Java no top 10 dessa década. Ele foi selecionado como um dos homens de negócios de 2012 em Business in Vancouver 40 under 40 e foi finalista do World Technology Awards na categoria de software de TI. Kersten é o editor do Departamento de Software do IEEE no DevOps. Antes de fundar o Tasktop, Mik criou o projeto de código aberto Eclipse Mylyn como parte de seu PhD em Ciência da Computação, pioneiro na integração de ferramentas de desenvolvimento com o pipeline de entrega. Como CEO da Tasktop, ele adora trabalhar com líderes de TI na transformação de como o software é construído.

Resumo:
TBA.

Augusto Sampaio, CIn/UFPE, Brasil


Augusto Sampaio é um doutor pela Universidade Oxford, 1993. Desde 2007 é professor de engenharia de software no Centro de Informática da UFPE. Em 2010, recebeu o título de Comandante da Ordem Nacional do Mérito Científico, premiado pela Presidência do Brasil. Em 2016, recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade de York. Ele é membro do Comitê de Prêmios de Bolsas Formais da Europa e membro do conselho editorial dos Aspectos Formais da Computação, Ciência da Programação de Computadores e do Jornal da Sociedade Brasileira de Computação.

Sua principal área de interesse é a Engenharia de Software, com ênfase em Métodos Formais. Ele contribuiu com a semântica, refinamento e transformação de modelos e programas concorrentes e orientados a objetos; técnicas de composição para verificação de modelo; integração de métodos formais e semi-formais (incluindo UML e SysML); modelos de componentes; geração automática de casos de teste a partir de requisitos de linguagem natural e, mais recentemente, à modelagem, simulação e verificação de aplicações robóticas. Ele foi o PI brasileiro de vários projetos nacionais e internacionais, incluindo três projetos financiados conjuntamente pela NSF (EUA) e pelo CNPq (Brasil), e o projeto COMPASS (http://www.compass-research.eu), sob uma chamada do 7º PQ . Ele também se concentrou significativamente na cooperação com a indústria: particularmente, desde 2002 ele é o PI de uma colaboração de longo prazo com a Motorola, no desenvolvimento e aplicação de técnicas de testes e análises formais para aplicações de telefonia móvel.

Resumo:
TBA.

Promoção, Organização e Apoio

Organização:

Realização:

Apoio:

Código de Conduta

A troca aberta de idéias e a liberdade de pensamento e expressão são fundamentais para os objetivos e metas do CBSoft. Estes exigem um ambiente que reconheça o valor inerente de cada pessoa e grupo, que promova a dignidade, a compreensão e o respeito mútuo, e que engloba a diversidade. Por estas razões, o CBSoft dedica-se a fornecer uma experiência livre de assédio moral aos participantes em nossos eventos, em nossos programas e nos canais oficiais de comunicação para esses eventos e programas, incluindo as mídias sociais. O assédio moral é um comportamento indesejável ou hostil, incluindo o discurso que intimida, cria desconforto ou interfere com a participação de uma pessoa ou oportunidade de participação, em uma conferência, evento ou programa. Assédio moral sob qualquer forma, incluindo mas não limitado a assédio baseado em alienação ou cidadania, idade, cor, credo, deficiência, estado civil, estado militar, origem nacional, gravidez, parto e condições médicas relacionadas à gravidez, raça, religião, sexo , gênero, status de veterano, orientação sexual ou qualquer outro status protegido por leis em que a conferência ou programa esteja sendo realizada, não serão tolerados. O assédio inclui o uso de linguagem abusiva ou degradante, intimidação, perseguição, fotografia ou gravação de assédio, contato físico inapropriado, imagens sexuais e atenção sexual indesejável. Uma resposta de que o participante estava "apenas brincando" ou "provocando", ou "brincalhão", não será aceita. Qualquer pessoa que testemunhe ou esteja sujeita a comportamentos inaceitáveis ​​deve notificar um membro do comitê da conferência. Os indivíduos que violam esses padrões podem ser sancionados ou excluídos de uma participação adicional a critério dos organizadores ou comissão responsável.

(Adaptado de ACM womENcourage 2017)

Contato